O que é... USB Tipo-C?

Quando começaram a aparecer os dispositivos compatíveis com o USB Tipo-C a primeira coisa que veio a minha mente foi: o futuro finalmente chegou!

O USB está certamente entre os padrões mais populares que já surgiram, mas, ao mesmo tempo, peca pela enorme variedade de tamanhos e tipos.

O Tipo-C representa a evolução do USB para um padrão universal. Finalmente estamos a ponto de poder usar um mesmo cabo com o mesmo conector nos dois lados e que pode servir para uma enorme variedade de situações como transmitir dados, recarregar equipamentos e conectar monitores externos.

Padrões

A USB-IF é uma empresa sem fins lucrativos com mais de 750 membros e fundada em 1995 pelas companhias que discutem e estabelecem os padrões para o popular formato USB. Nomes como Apple, Google, Microsoft e muitas outras fazem parte desse grupo.

O Tipo-A é o formato mais popular. É aquele retangular e que está nos pendrives, nas portas dos notebook, recarregadores de celular e em diversas outras partes. O Tipo-B lembra um quadrado (mais detalhes no video) e normalmente está presente em cabos de impressora. Já as variações mini e micro são versões menores dos tipos A e B.

Além dos formatos, existem também as versões que estão relacionadas às velocidades de transmissão. Atualmente estamos na 3.1, mas percorremos um longo caminho até chegarmos aqui.

Velocidades

  • 1.0: 1.5 Mbit/s a 12 Mbit/s
  • 2.0: 480 Mbit/s
  • 3.0: 5 Gbit/s
  • 3.1: 10 Gbit/s

A propósito, para identificar os equipamentos que suportam uma velocidade maior, fique de olho na cor do conector. Aqueles que são pintados de azul, são os mais velozes.

Mas vale lembrar que os dois equipamentos conectados precisam suportar maior velocidade. Sendo assim, se seu computador suporta velocidade 3.1, mas seu telefone só suporta 2.0, a velocidade de transmissão cai para 2.0.

É fato que as versões 3.0 e 3.1 trouxeram um grande salto na velocidade, mas ainda existiam todos aqueles outros conectores que vemos na outra ponta do cabo: micro, mini e tantos outros. O objetivo do USB Tipo-C é unificar tudo isso. A velocidade atingida até o momento com a versão 3.1 e um único formato de cabo.

As principais características do Tipo-C são:

  • Um conector que pode ser encaixado virado para cima ou para baixo;
  • Um mesmo conector nas duas pontas do cabo;
  • Elevada velocidade de transmissão de dados;
  • Capacidade para recarregar dispositivos;
  • Pode ser usado para transmitir vários tipos de dados e sinal.

O Futuro

Estamos vivendo um momento de transição que deve ser um pouco longo, mas já existem vários adaptadores a venda e até pendrives com conectores Tipo-A de um lado e Tipo-C no outro.

Enfim, quando concluirmos essa etapa, precisaremos de apenas um cabo para todos os nossos equipamento. Quase... afinal o iPhone, iPad, Magic Mouse, Magic Trackpad e Pencil da Apple ainda usam um conector proprietário, o Lightning.

A propósito essa é uma face do "pensar diferente" da Apple que é completamente desnecessária e que só complica a vida das pessoas. Acho difícil, mas quem sabe essa teimosia termine depois que todos os demais equipamentos do mundo já estiverem adotando o USB Tipo-C.

Como a Apple ajudará a popularizar fones de ouvido USB Tipo-C

Os rumores estão por toda parte, a Apple pode vir a eliminar o tradicional conector para fone de ouvidos no próximo iPhone. Aparentemente o plano é tornar o telefone resistente ou a prova d’água e diminuir ao máximo o número de portas seria uma boa prática. Outra justificativa é a qualidade do áudio 100% digital.

Ando lendo e ouvindo muita gente explicar as diferenças entre as tecnologias e a percepção que temos do som vindo dos fones equipados com os tradicionais conectores analógicos que usamos hoje em dia. Não sou especialista e entendo muito pouco a respeito do tema, mas tudo que li até o momento sugere que, em termos de percepção, não fará muita ou nenhuma diferença migrar para o 100% digital.

Seja como for, mudar padrões radicalmente parece estar no DNA da Apple há anos. Foram pioneiros no uso do USB, na adoção do disquete de 3.5’’ e sua futura eliminação junto com o leitor de CDs, transformaram por completo o formato de celulares, acabaram com as baterias removíveis em telefones e computadores e assim por diante. Basta olhar a sua volta e verá que grande parte do mercado segue essas e outras tendências e modas lançadas em Cupertino.

Particularmente gosto da ideia de um único padrão de conexão para todos os nossos dispositivos. Pense por um minuto em como o USB revolucionou nossas vidas. Se estiver escrito “USB” na embalagem você sabe com o que aquele equipamento funcionará. E o novo padrão Tipo-C promete facilitar ainda mais as coisas.

+ VCP 148 - Entenda o que é USB 3.1 Tipo-C

Se a Apple migar o áudio para o Lightning, certamente lançará junto fones Beats compatíveis e outras empresas seguirão a tendência. Afinal nenhum empresário em sã consciência vai querer perder essa enorme fatia de mercado. E como o Android já é compatível com som via saída USB desde o Lollipop, é muito provável que fones USB Tipo-C comecem a se popularizar também. Afinal o novo MacBook e diversos outros computadores têm uma ou mais portas Tipo-C e novas gerações de televisões, monitores, aparelhos de som etc. tendem a adotá-lo.

+ Simplifique o dia-a-dia usando menos cabos

Em um mundo ideal a Apple trocaria o Lightning pelo USB em seus dispositivos móveis e passaríamos a ter que lidar com apenas um formato, mas acho que isso não acontecerá. Acredito que o mais provável será a existência de uma boa quantidade de fones com conectores Lightning e uma enorme variedade de preços e qualidade usando o formato USB Tipo-C. E é claro, veremos surgir também uma gigantesca quantidade de adaptadores.

Simplifique o dia-a-dia usando menos cabos

Como ainda não chegamos a era do USB 3.1 Tipo-C, uma boa dica é otimizar os cabos que carregamos conosco. Ainda tenho alguns equipamentos antigos que usam Mini USB, mas atualmente quase tudo por aqui pode ser conectado via Micro USB e Lightning (no caso do iOS). Imagino que algo similar aconteça com você.

+ VCP 148 - Entenda o que é USB 3.1 Tipo-C

A Apple e alguns outros fabricantes até vendem um pequeno adaptador para transformar conectores Micro USB em Lightning, mas, em minha opinião, são muito pequenos e, consequentemente, fáceis de serem perdidos.

Como pode ser visto nas fotos (abaixo), optei por uma alternativa na qual o adaptador está preso ao cabo principal. Existem vários modelos com essa proposta, que casa muito bem com praticamente todas as minhas necessidades: iPhone, Kindle e principalmente o bloco de carga extra da Mophie. Mas antes de migrar para esta solução mais simplificada, passei pelo "cabo-polvo", aquele volumoso com várias pontas que raramente usamos.

Para quem não usa iOS, existe um outro modelo com ponta dupla, muito parecido com o meu, porém com conectores Micro e Mini USB. E um lembrete importante para os usuários iOS é verificar se o cabo escolhido é certificado pela Apple. Caso contrário, pode não funcionar e o barato sairá caro.

Mantenho o cabo na mochila e em casa tenho o Lightning (original) e Micro USB conectados à tomada para recarregar os aparelhos. Mas definitivamente o Mophie é o destino mais comum para meu cabo híbrido.

Há dois conectores no pequeno bloco de energia extra que me acompanha quase sempre: um USB tradicional e outro Micro USB. O primeiro para conectar e recarregar os mais variados dispositivos. Uso normalmente quando estou na rua e a bateria do iPhone está se esgotando. Já o Micro USB serve para recarregar o bloco. Quando estou em algum local com tomadas, o mesmo cabo (invertido) serve para recarregar o Mophie.

Obs.: No passado costumava usar as capas Mophie que servem também como bateria extra. O problema é que são proprietárias. Ao comprar outro telefone, é preciso também adquirir uma nova capa. Outra desvantagem é que funcionam apenas para um dispositivo. Já o bloco, junto com o cabo híbrido, me permite recarregar também o Kindle e equipamentos da esposa.

Levamos conosco e recarregamos tantos equipamentos no dia-a-dia, portanto, um pouco de simplicidade e comodidade, sem perder a eficiência, é uma boa pedida. Te convido a ficar sempre atento as alternativas a sua volta que lhe permitam fazer o mesmo (ou mais!) com menos.