Produtividade: quando pagar por Apps e serviços (opinião).

Videoaula

Semana passada aconteceu uma conversa muito interessante lá no nosso Grupo de Discussão a respeito de pagar ou não por aplicativos e serviços. Em realidade não foi a primeira vez e provavelmente não será a última. Mas o foco desta vez era a quantidade de dinheiro que se gasta assinando aplicativos.

Quero começar nossa conversa contando uma história triste que alguns já devem conhecer. No passado existiu um serviço muito interessante chamado Sunrise. O conceito era muito simples, porém extremamente eficiente. O Sunrise era apenas uma agenda de compromissos que se integrava com uma enorme quantidade de serviços.

Era possível, por exemplo, ter aceso aos compromissos vindos de uma série de lugares como Outlook, Google Agenda, lembretes do Evernote, eventos do Eventbrite e assim por diante. E não era algo estático. Qualquer mudança feita no Sunrise era refletida nos outros serviços e vice-versa.

Acontece que a Microsoft comprou o Sunrise e integrou meia dúzia de funcionalidade dele dentro do App Outlook. O que existe hoje não chega aos pés do que o serviço foi no passado. A revolta foi geral e um grupo de pessoas resolveu criar um serviço equivalente, o Kin.

Parecia que tudo estaria resolvido, mas em janeiro deste ano (2018) eles, de certa forma, encerraram as atividades também. Pararam de desenvolver o aplicativo e disponibilizaram o código em open source e mais uma vez, fim de história.

Pode até parecer que manter uma estrutura online seja algo barato, mas não é. Por exemplo, hospedar meu site custa dinheiro de verdade, o endereço vladcampos.com custa dinheiro de verdade, o serviço de envio de mensagens via Newsletter me cobra por cada email enviado e significa que quando mais gente participa, mas eu pago. Além disso, o tempo que invisto nos vídeos significa tempo que não estou ganhando dinheiro com clientes e assim por diante. E sou basicamente uma pessoa fazendo tudo.

Transporte tudo isso para uma equipe de desenvolvimento de um serviço como o Sunrise e a conta ficará muito maior. O mesmo vale para o Evernote, Trello, Todoist etc. Existem custos com desenvolvimento, suporte, manutenção, hospedagem de dados, marketing etc.

O modelo parcialmente gratuito destas empresas existe para que você experimente e descubra se o serviço é mesmo útil para você. E é neste ponto que quero chegar. Se é útil para você, se você está sendo mais eficiente, se está ganhando mais dinheiro, pague pelo serviço. Não para ajudar a empresa, mas para te ajudar a fazer ainda mais.

O Facebook nos oferece uma avalanche de coisas gratuitas porque ele está usando e abusando de nossos dados nos bastidores e ganhando rios de dinheiro com isso. Não é o caso de aplicativos de produtividade. A maioria dos que conheço e uso é muito cuidadosa com nossos dados e a única fonte de receita vem do que pagamos.

A discussão no grupo era um pouco diferente disso. O foco era tentar otimizar os serviços para que nosso custo mensal total pudesse ser reduzido. Concordo penalmente com este raciocínio e falei sobre o assunto na semana passada. Não há porque pagar por vários aplicativos que executam funções similares. Tente otimizar, mas, por favor, não se revolte com os recursos que não existem nas versões gratuitas.

A história do Sunrise não é excessão. Só no período recente vimos o Wunderlist ser comprado pela Microsoft também e os escritórios do Todoist e Evernote fechando no Brasil.

É um tema bastante polêmico e gostaria muito de ouvir sua opinião. Se um aplicativo ou serviço te leva a ser mais eficiente você paga por ele? Que aplicativos e serviços recebem seu dinheiro? Por que? Por favor, compartilhe sua história para ajudar outras pessoas.

 

3 dicas para Google Chrome | Navegando nas abas do Navegador.

O plano hoje é te ajudar a ser mais produtivo combinando algumas dicas para o navegador Google Chrome. São dicas rápidas, mas que simplificarão bastante parte das suas atividades diárias. Vamos fixar abas e usar atalhos de teclado para acessar os serviços que você mais usa.

Imagino que você tenha alguns serviços online que utiliza com freqüência. Por exemplo, o Gmail. Mas pode ser qualquer um. No meu caso, sempre deixo abertos o Gmail e o Google Agenda. São as primeiras abas do meu navegador porque estou sempre precisando acessar estes sites. Portanto, melhor que fiquem já abertos.

Mas ficar sempre aberto não significa que as abas destes dois serviços precisam ocupar tanto espaço, concorda? Para resolver este problema, clique com o botão direito sobre uma das abas e escolha a opção "fixar guia" (assista o vídeo abaixo para mais detalhes). Fazendo isso o nome do site desaparece da aba e a aba irá para o canto esquerdo da janela do navegador.

Você pode fazer isso com mais de uma aba e apesar de ficarem todas fixas no lado esquerdo, você pode reordenar as abas fixadas. No meu caso, o Gmail vem primeiro e logo depois o Google Agenda.

Agora vamos para mais uma configuração. Clique nos três pontos que ficam no canto superior direito do Google Chrome e navegue até a opção "Configurações". Role a página até o item "Inicialização" e escolha uma das três opções. No meu caso prefiro que o navegador sempre abra com as últimas janelas que eu estava utilizando e isso incluirá as duas abas que fixei à esquerda. E sim, elas abrirão já desta forma.

+ Experimente o G Suite

Agora vem a última dica pra completar a aula de hoje. Uma vez que o navegador estará sempre aberto com as abas que você mais usa, que tal aprender e se habituar a um atalho de teclado para chegar nelas mais rápido. No Google Chrome é possível usar a combinação ctrl (no Windows) ou cmd (no Mac) mais um número de 1 a 9 para ir direto a uma aba (contando da esquerda para a direita). Entendeu?

No meu caso, um usuário Mac, simplesmente uso a combinação cmd + 1 para ir para o Gmail e cmd + 2 para ir até o Google Agenda. Se você praticar, a combinação de teclas se transformará no que chamam de memória muscular. Comigo já é automático, quando estou combinando algum compromisso ou quero anotar algo na agenda, vou até a janela do Chrome e pressiono cmd + 2. Ponto, estou com meu calendário aberto sem demora.

Já conhecia alguma dessas dicas? Já tinha pensado em combinar tudo isso? Se você faz algo diferente, por favor, compartilhe sua experiência para ajudar outras pessoas. E se é novo no Canal, assine para acompanhar as várias dicas semanais que publico.

 

Como ser mais produtivo usando o Trello | Tutorial Trello.

O aplicativo Trello é muito intuitivo e basta observar alguém usando por alguns minutos para entender como funcionam os principais recursos.

Mas exatamente como acontece com qualquer outro serviço, existem recursos avançados que nos fazem ganhar muito tempo porque facilitam o uso do aplicativo.
 

Por exemplo, você sabia que é possível alternar entre Quadros do Trello usando um menu lateral e que este menu pode ficar fixo na tela? E nos momentos em que precisamos arrastar um Card entre listas que estão muito distantes uma da outra, será que existe uma forma mais simples de fazer isso? Sim, existe. Compartilho estas e outras dicas na videoaula abaixo, mas caso queira ter acesso a vários outros ensinamentos, assista todos os meus tutoriais a respeito do Trello.

Outro recurso que ajuda muito são os inumemos atalhos de teclado disponíveis no aplicativo. Você pode, por exemplo, abrir a janela de busca ou filtros, pode atribuir um card a você ou adicionar uma etiqueta de forma muito ágil. Tudo isso com combinações de teclas que são muito fáceis de memorizar.

Assista a videoaula abaixo e passe a usar o Trello como um profissional. E se você conhece alguma outra dica, por favor, compartilhe nos comentários para ajudar outras pessoas.