O que é Slack? | Comunicação Eficiente nas Empresas.

Nem saberia dizer quantos sistemas de mensagem existem a nossa disposição, mas o que posso afirmar com certeza é que o WhatsApp não é a melhor ferramenta para comunicação dentro de uma empresa.

Na videoaula de hoje apresento o Slack, um incrível sistema de comunicação que pode ser integrado a uma grande quantidade de serviços e aplicativos. E o melhor, é gratuito até o limite de 10 mil mensagens. E mesmo atingido este limite, o Slack não para. Mensagens antigas apenas deixam de aparecer nas buscas.

Olhando superficialmente, ele é até parecido com WhatsApp, Facebook Messenger, Telegram e similares. Mas verá que são apenas aparências. Para começar, vamos entender a terminologia. O Slack funciona com base no que é chamado de Time. O Time pode ser um grupo de amigos, um departamento da empresa ou mesmo a empresa inteira.

Por exemplo, há alguns meses criei um Time no Slack para que os interessados no Grupo Diário de um elefante pudessem experimentar a ferramenta. O nome do Time é "Diário de um elefante" e o endereço é http://diariodeumelefante.slack.com. Dentro do Time podem ser criados os Canais, que são subdivisões internas e que são representados pelo símbolo hashtag.

Parte da mágica do Slack acontece nos Canais, mas antes vamos entender outro elemento, as integrações. O Slack pode ser conectado a uma enorme quantidade de serviços e é importante que você entenda que não é uma conexão simples. A integração com o Trello, por exemplo, permite que você execute ações sofisticadas dentro do Trello a partir do Slack.

E dentro do Slack é possível também ver ações que ocorreram no Trello e que tem alguma relação com você. É uma integração muito sofisticada, mas o Trello não é o único.

A interação com aplicativos conectados acontece via comandos que são precedidos de uma barra de data. No Todoist, por exemplo, você pode usar /todoist e incluir uma tarefa. No Hangouts, o /hangouts permite começar uma videochamada com uma pessoa específica e assim por diante. A barra é a chave para iniciar comandos do Slack e a variedade de comandos é ainda maior do que a quantidade de aplicativos que podem ser conectados.

Voltando aos Canais, eles podem ser criados para servirem de espaços para determinados temas. Por exemplo, pode existir um Canal para bate-papo ou um Canal para o qual são encaminhados automaticamente os tweets relacionados ao suporte na empresa.

Ou seja, o Canal é o espaço para os responsáveis lidarem com assuntos específicos. Outro exemplo, o Mailchimp, que é um serviço de mailing, também pode ser integrado e é possível configurar o Slack para mostrar uma mensagem em um determinado Canal toda vez que alguém se inscrever ou sair do mailing. Enfim, o potencial do Slack em termos de comunicação eficiente dentro das empresas é fenomenal.

E além de criar Canais que podem ser fechados para um determinado grupo de pessoas, você pode também enviar mensagens diretas para qualquer membro de um Time.

Limitações

Apesar de toada essa sofisticação, vejo alguns problemas no Slack. Por exemplo, não há como interagir com o mundo exterior. Ou seja, não há como mandar uma mensagem para um cliente como você faz via WhatsApp. A não ser que você crie um Time para cada um dos seus clientes.

Outro problema é a forma como ele lida com os diferentes Times. Para cada um deles você precisa criar uma conta e nome de usuário próprio. Ou seja, no final você terá várias senhas, uma para cada Time. Há como administrar todas em uma única janela ou abas do navegador, mas são contas independentes.

Gostou? Em breve publicarei outras aulas a respeito desta incrível ferramenta. Já conhecia o Slack? Deixe um comentário compartilhando suas dicas para ajudar outras pessoas. E aproveite e assine o Canal no YouTube para acompanhar as próximas aulas a respeito de Slack e outras tecnologias que podem transformar sua vida para melhor.

Caso precise de ajuda para otimizar os mais variados aplicativos e serviços na organização e produtividade da sua pequena ou média empresa, entre em contato.

Gostou da dica? Compartilhe com os amigos.

O Hangouts é confuso ou mal explicado?

Há pouco mais de um ano meu pai adquiriu seu primeiro smartphone. Depois que se habituou ao aparelho, partimos para migração do Skype que usa há anos no computador. Deu certo e temos evoluído desde então. Ainda prefere o computador para me ligar, mas já consegui fazer ele atender algumas vídeo-chamadas no telefone. Quando é pego de surpresa, não tem jeito, tem que atender. Por outro lado, sei lá porque cargas d'água, ele não consegue se habituar ao fato de que o Skype também permite comunicação via texto.

Considero isso um tanto frustrante porque algumas vezes desejo apenas mandar uma mensagem, uma foto etc. Sim, eu sei, poderíamos usar o WhatsApp, mas simplesmente não quero. Já compartilhei diversas vezes minha opinião a respeito do aplicativo. No meu caso o excesso de mensagens irrelevantes estava me atrapalhando demais. E grande parte do tempo de trabalho do meu pai é dedicado a ler e escrever. Não quero transformar a vida dele num inferno.

Esses dias notei que ele se habituou bem ao SMS no smartphone e tive um ideia: instalar o Hangouts, habilitar o aplicativo para receber e enviar SMS e assim não causo tanta confusão nos fluxos dele. Aliás, falando em confusão, esse parece ser um ponto forte no Android. A pessoa precisa de um e-mail do Google para habilitar o aparelho, mas aplicativos chave da empresa nem sempre estão instalados. Entendo que há um modelo de negócios diferente do usual, mas é muito estranho ter que esperar que o usuário descubra e instale sozinho determinados aplicativos.

Nem todos sabem, mas o Hangouts é o mensageiro universal do Android. Com ele é possível enviar e receber SMS e ao mesmo tempo se comunicar via texto, áudio e vídeo com pessoas usando o Gmail em seus computadores, o App Hangout no iOS etc. E nos EUA ele é ainda mais útil, pois funciona também com o Google Voice. Aliás, é exatamente o mesmo caminho que a Microsoft tem trilhado, integrando o Skype ao Outlook.com.

Portanto, comparado ao WhatsApp e similares, em minha opinião, é uma solução efetivamente universal e muito mais completa. O que me leva a velha pergunta: a liberdade no Android é mais prejudicial que benéfica para o Google? Ou será que a empresa não está é fazendo um bom trabalho promovendo e explicando seus próprios produtos e serviços?

Enfim, se você é um usuário Gmail, fica a dica. É possível instalar o Hangouts no seu iPhone ou Android e tirar proveito da troca de mensagens, envio de arquivos e conversas em voz e vídeo nas mais diversas plataformas. Ele é universal de fato. E para aqueles que têm um Android, sugiro que o definam como App para SMS também. Dessa forma, a exemplo do que acontece no iMessage da Apple, você poderá escolher se quer mandar um SMS ou uma mensagem usando o 3G ou Wi-Fi.

Assine o newsletter semanal e mantenha-se atualizado.

O WhatsApp para web é uma gambiarra?

No artigo Ele é mesmo seu amigo? já explorei o tema segurança e sugiro que o leia, mas resumindo, ha dois pontos principais que me incomodam bastante no WhatsApp e aplicativos similares como Viber, Telegram etc.:

  1. Diferente do que acontece no Skype, Hangouts ou iMessage, eles dependem de um número de telefone para funcionar. Hoje meu iMessage está conectado a dois endereços de e-mail e um telefone. Mas não necessariamente preciso de um número móvel para utiliza-lo. O mesmo vale para o Skype e Hangouts.
  2. O segundo incômodo é — era? — a falta de um aplicativo para usar o WhatsApp no computador. Adoro meu smartphone e tudo que poso executar com ele, mas estar trabalhando no computador e ter que parar tudo para responder uma mensagem via telefone é algo irracional demais nos dias de hoje. Há inúmeros exemplos de aplicativos funcionando paralelamente em diversas plataformas. Além disso, o concorrente direto, o Viber, já funciona em vários dispositivos há bastante tempo.

Não uso o WhatsApp, mas confesso que fiquei tentado a instalar pois parecia que finalmente poderia interagir com as pessoas via Mac. Até que começaram a aparecer as letras miúdas. Brincadeiras a parte, as limitações estavam bem claras no site oficial desde o início:

...Your phone needs to stay connected to the internet for our web client to work...
...Unfortunately for now, we will not be able to provide web client to our iOS users due to Apple platform limitations...

O primeiro item informa que o telefone precisa estar conectado à Internet para que o cliente web funcione. Por que?! Ok, é claro que deve haver uma explicação, mas acredito que nada me convencerá da real necessidade de algo assim.

O outro problema é ausência de suporte Apple. Estou exagerando um pouco, mas sem um aparelho Android e o navegador Google Chrome instalados no Mac, usuários Apple não podem usar a nova versão web do WhatsApp.

O trecho "...devido a limitações da plataforma Apple..." me soa muito estranho. Que limitações? Conforme mencionei no início do texto, existem inúmeros aplicativos que funcionam muito bem em múltiplas plataformas e nenhum deles jamais declarou que existe alguma limitação que impeça incluir os dispositivos Apple. Portanto, as limitações me parecem estar em realidade ligadas a forma como a tal versão web foi desenvolvida. Sinceramente? Esse lançamento me pareceu muito mais uma gambiarra que um novo serviço.

Enfim, continuarei minha vida sem o WhatsApp. O iMessage, Skype e Hangouts me atendem muito bem para falar com todos os meus contatos pessoais e profissionais.