Google Fotos: entendendo álbuns 🌁 | 291

Gosto muito do Google Fotos e já publiquei alguns vídeos no Canal a respeito do tema. No último tentei responder as perguntas mais comuns que as pessoas fazem a respeito do serviço, mas a pergunta campeã diz respeito a organização de fotos em álbuns. As pessoas querem ter as fotos apenas nos álbuns mas problema é que o Google Fotos não funciona dessa forma.

O Google Fotos é um serviço excelente, mas não é um álbum de fotografias tradicional. Todas as suas fotos estarão sempre no mesmo lugar. Sempre aparecerão na tela principal. Os álbuns são apenas categorias. Significa que você não está movendo nenhuma foto para álbum. Está apenas criando um filtro. Ou seja, ao clicar no álbum, o Google Fotos mostra as fotos que você categorizou com o nome daquele álbum.

A única forma que conheço para contornar essa situação é criar o álbum e depois selecionar as mesmas fotos na timeline e escolher a opção arquivar. Elas ficarão escondidas e só poderão ser visualizadas clicando na opção Arquivo ou no álbum.

Mas é importante entender que no Google Fotos não existe um lugar para onde você está movendo as coisas. Você está sempre apenas categorizando aquelas informações. Ou seja, no fundo, a timeline é o único local onde as fotos estão armazenadas.

 

Google Fotos ou Google Drive 📁 | 279

Pode ser que você entenda bem os objetivos de cada um, mas costumo ver dúvidas nos comentários dos meus vídeos e o primeiro passo é deixar claro para que serve cada um. Os dois têm funções diferentes, mas é possível guardar fotos e vídeos tanto no Google Fotos, quanto no Google Drive e no vídeo de hoje você entenderá como decido entre os dois serviços.

O Google Drive serve para armazenar qualquer tipo de documento em nuvem. Faz o mesmo que o Dropbox, iCloud da Apple e OneDrive da Microsoft. Já o Google Fotos é um álbum digital para guardar suas fotos e videos. Portanto, pode até parecer óbvio que o Google Fotos seja a melhor opção para guardar e organizar suas fotos e vídeos, mas nem sempre é o caso.

O Google Fotos tem uma versão gratuita com espaço ilimitado, mas a resolução de armazenamento, apesar de muito boa, não é a original. Por essa razão prefiro guardar no Drive os vídeos e fotos originais que uso para criar o conteúdo do canal.

Já o problema do Google Drive é o espaço limitado na versão gratuita. Portanto, se pretende utilizá-lo, precisará compra mais armazenamento ou assinar o G Suite, que, a propósito, você pode experimentar por 14 dias gratuitamente visitando vladcampos.com/g

Um outro problema do Google Fotos é o processamento dos arquivos. Já andei realizando alguns experimentos por lá e desisti de usar principalmente porque demora um pouco para que o vídeo seja processado e esteja disponível para download. No caso do Drive, o arquivo está lá pronto para ser usado.

E algo que talvez você não saiba a respeito do Drive é que é possível utilizá-lo como uma espécie de YouTube particular. Vídeos armazenados por lá podem ser marcados como públicos para que outros assistam. E você pode também capturar o código para incluir o vídeo como embedded (incorporado) no seu site. Aliás, isso funciona ainda melhor no Google Sites do G Suite.

E você, qual dos dois prefere usar? Por favor, cote sua experiência nos comentários para ajudar outras pessoas inscritas no canal. E se conhece alguém interessado no assunto, utilize os botões abaixo e compartilhe o vídeo.

Pauta criada e editada no Evernote, workflow controlado no Trello e vídeo produzido nos aplicativos Luma Fusion e WeVideo no meu Chromebook Acer R11.

 

SERVIÇOS QUE USO, GOSTO E RECOMENDO

 
 

Google Fotos: PARTE 2 📷 | 277

O Google Fotos é um serviço fantástico. Basta ativar uma vez e deixar ele trabalhar sozinho. Suas fotos serão sempre levadas automaticamente para nuvem e você ficará tranquilo sabendo que existe um backup.

O problema é que, como os demais serviços do Google, ele segue a filosofia de privilegiar configurações automáticas. Ou seja, não há controles finos para organizar suas fotos como você faria em outros aplicativos que funcionam de forma mais parecida com um álbum de fotografias digitais.

Porém, apesar das limitações, há, sim, a possibilidade de configurar alguns recursos e há alguns meses publiquei no meu Canal um tutorial do Google Fotos. O vídeo é bastante popular e, apesar do esforço que fiz para cobrir a maior parte de configurações e recursos possíveis, percebo nas dúvidas que aparecem nos comentários que há uma certa resistência ou dificuldade para compreender essa filosofia do "automático", que é tão comum nos serviços do Google.

No vídeo de hoje procuro esclarecer como funcionam as automações do Google Fotos e responder algumas das perguntas mais comuns como compartilhamento de álbuns e fotos, reconhecimento de rostos, busca, organização, mudanças de nomes etc.

O serviço continuará evoluindo e novas dúvidas certamente surgirão. Portanto, tenho certeza que publicarei outros vídeos a respeito do tema no futuro. Por ora, se conhece alguém interessado no assunto Google Fotos, por favor compartilhe o tutorial original (vide: https://youtu.be/9upn4GXIQBo) e também a Parte 2 usando os botões abaixo.

Pauta criada e editada no Evernote, workflow controlado no Trello e vídeo produzido nos aplicativos Luma Fusion e WeVideo no meu Chromebook Acer R11.

 

SERVIÇOS QUE USO, GOSTO E RECOMENDO