O que é Slack? | Comunicação Eficiente nas Empresas.

Nem saberia dizer quantos sistemas de mensagem existem a nossa disposição, mas o que posso afirmar com certeza é que o WhatsApp não é a melhor ferramenta para comunicação dentro de uma empresa.

Na videoaula de hoje apresento o Slack, um incrível sistema de comunicação que pode ser integrado a uma grande quantidade de serviços e aplicativos. E o melhor, é gratuito até o limite de 10 mil mensagens. E mesmo atingido este limite, o Slack não para. Mensagens antigas apenas deixam de aparecer nas buscas.

Olhando superficialmente, ele é até parecido com WhatsApp, Facebook Messenger, Telegram e similares. Mas verá que são apenas aparências. Para começar, vamos entender a terminologia. O Slack funciona com base no que é chamado de Time. O Time pode ser um grupo de amigos, um departamento da empresa ou mesmo a empresa inteira.

Por exemplo, há alguns meses criei um Time no Slack para que os interessados no Grupo Diário de um elefante pudessem experimentar a ferramenta. O nome do Time é "Diário de um elefante" e o endereço é http://diariodeumelefante.slack.com. Dentro do Time podem ser criados os Canais, que são subdivisões internas e que são representados pelo símbolo hashtag.

Parte da mágica do Slack acontece nos Canais, mas antes vamos entender outro elemento, as integrações. O Slack pode ser conectado a uma enorme quantidade de serviços e é importante que você entenda que não é uma conexão simples. A integração com o Trello, por exemplo, permite que você execute ações sofisticadas dentro do Trello a partir do Slack.

E dentro do Slack é possível também ver ações que ocorreram no Trello e que tem alguma relação com você. É uma integração muito sofisticada, mas o Trello não é o único.

A interação com aplicativos conectados acontece via comandos que são precedidos de uma barra de data. No Todoist, por exemplo, você pode usar /todoist e incluir uma tarefa. No Hangouts, o /hangouts permite começar uma videochamada com uma pessoa específica e assim por diante. A barra é a chave para iniciar comandos do Slack e a variedade de comandos é ainda maior do que a quantidade de aplicativos que podem ser conectados.

Voltando aos Canais, eles podem ser criados para servirem de espaços para determinados temas. Por exemplo, pode existir um Canal para bate-papo ou um Canal para o qual são encaminhados automaticamente os tweets relacionados ao suporte na empresa.

Ou seja, o Canal é o espaço para os responsáveis lidarem com assuntos específicos. Outro exemplo, o Mailchimp, que é um serviço de mailing, também pode ser integrado e é possível configurar o Slack para mostrar uma mensagem em um determinado Canal toda vez que alguém se inscrever ou sair do mailing. Enfim, o potencial do Slack em termos de comunicação eficiente dentro das empresas é fenomenal.

E além de criar Canais que podem ser fechados para um determinado grupo de pessoas, você pode também enviar mensagens diretas para qualquer membro de um Time.

Limitações

Apesar de toada essa sofisticação, vejo alguns problemas no Slack. Por exemplo, não há como interagir com o mundo exterior. Ou seja, não há como mandar uma mensagem para um cliente como você faz via WhatsApp. A não ser que você crie um Time para cada um dos seus clientes.

Outro problema é a forma como ele lida com os diferentes Times. Para cada um deles você precisa criar uma conta e nome de usuário próprio. Ou seja, no final você terá várias senhas, uma para cada Time. Há como administrar todas em uma única janela ou abas do navegador, mas são contas independentes.

Gostou? Em breve publicarei outras aulas a respeito desta incrível ferramenta. Já conhecia o Slack? Deixe um comentário compartilhando suas dicas para ajudar outras pessoas. E aproveite e assine o Canal no YouTube para acompanhar as próximas aulas a respeito de Slack e outras tecnologias que podem transformar sua vida para melhor.

Caso precise de ajuda para otimizar os mais variados aplicativos e serviços na organização e produtividade da sua pequena ou média empresa, entre em contato.

Gostou da dica? Compartilhe com os amigos.

O WhatsApp é sua única forma de comunicação?

Sinto, mas você está vulnerável a golpes e condenado a ficar ilhado eventualmente.

Certa vez publiquei um artigo dizendo que o WhatsApp é uma gambiarra e muita gente ficou brava comigo. Apesar de muitas melhorias, a propósito, em vários casos, copiadas do Telegram, continuo acreditando nisso. Mas essa gambiarra é amada e utilizada por mais de 1 bilhão de pessoas e, consequentemente, é também um alvo para espertalhões de plantão.

O Telegram é 10 vezes menor que isso, mas esse não é o ponto. Ele nasceu já levando em conta os problemas que foram surgindo junto com o mercado de mensageiros. Evidentemente ele não é 100% seguro, mas é muito melhor que o WhatsApp em vários aspectos.

E antes de começar a repetir que “ninguém usa”, experimente. Você vai se surpreender com a quantidade de pessoas que faz parte dessa incrível comunidade. Afinal de contas, estatisticamente falando, podemos dizer que 1 em cada 10 usuários do WhatsApp é usuário do Telegram. Hoje, além de amigos e parentes, alguns clientes já se comunicam comigo dessa forma.

Só para que você tenha uma ideia, o grupo Diário de um elefante, onde conversamos sobre organização e produtividade, já tem quase 1.000 membros com participação ativa e diária. No Telegram existem também Canais para divulgação de conteúdo e um bom exemplo é o jornal BBC Brasil. São quase 6 mil membros acompanhando as publicações. No El País (em espanhol), são mais de 7 mil e essas são comunidades pequenas!

A primeira vista o Telegram se parece muito com o WhatsApp, Facebook Messenger e outros, mas ele tem algumas características bem interessantes que fazem dele um serviço mais completo e seguro.

Funciona em toda parte

Uma das principais vantagens do Telegram é que ele funciona em praticamente qualquer lugar. Android, iOS, Windows Phone, Mac, Windows, Linux e Web. E todas essas versões estão em constante sincronismo. Significa que se você começa uma conversa em um dispositivo, pode seguir a partir de outro sem nenhuma necessidade de gambiarras. Você pode, inclusive, começar a digitar uma mensagem em um local e, antes de enviar, continuar escrevendo em outro. Em termos de produtividade, isso simplesmente não tem preço.

Senha de validação em duas etapas

O WhatsApp acabou de disponibilizar esse recurso e sugiro que você pare tudo e crie uma senha. Mas no Telegram isso já existia desde o início. Além de vincular ele ao seu número de telefone, você pode e deve criar uma senha que será sempre solicitada quando você ou outra pessoa tentar configurar o Telegram com seu número em outro local.

Além disso, toda vez que um novo dispositivo é adicionado, você é notificado e um código de verificação (senha) chega nos aplicativos que você já tem instalado nos seus outros aparelhos.

E o tal golpe de transferência de dinheiro que acontece no WhatsApp? Seria impossível no Telegram. Depois que você validou seu número uma vez, você sempre saberá o que está acontecendo porque receberá uma mensagem dentro do aplicativo te avisando de uma tentativa de nova ativação. E na hipótese de alguém conseguir roubar e ativar sua conta em outro aparelho, você continuará tendo acesso ao Telegram e verá tudo que está sendo dito e feito pelo falsário.

O aplicativo em si também permite uso de senha. Colocar uma senha toda vez que quiser ver uma mensagem pode ser bem inconveniente, mas é uma opção que existe no Telegram.

E finalmente, uma última forma de proteção é poder ver todos os dispositivos que estão com sua conta ativa e desativar um, vários ou todos ao mesmo tempo quando você quiser.

Nome de usuário

Outra característica interessante do Telegram é o nome de usuário. Além do número de telefone, é possível criar um usuário para sua conta. O nome de usuário server para algumas coisas.

Por exemplo, quando você faz parte de um grupo é possível usar o nome de usuário para que a pessoa do grupo saiba que você está falando diretamente com ela. Isso acontece o tempo todo no Diário de um elefante. Além disso, serve também como uma outra camada de segurança.

Toda vez que você manda uma mensagem para alguém no WhatsApp, a pessoa do outro lado verá seu número, mas isso pode ser evitado no Telegram. Quando você cria seu nome de usuário, é ele que a outra pessoa verá. O outro lado da conversa só verá seu número se ele já souber ou se ele estiver na sua agenda de contatos do telefone.

Paz

Sabe aquele amigo ou parente que vive te incluindo em grupos? No Telegram você pode proibir ele de fazer isso. Outra tranquilidade que você pode ter é definir quem saberá quando foi a última vez que você entrou no aplicativo.

Autodestruição

Já percebeu que algumas pessoas da sua lista de contatos no WhatsApp não são quem você pensa que elas são? Isso acontece porque você tem um número antigo ou errado na sua agenda. O problema é que às vezes você nem percebe que está mandando mensagens para a pessoa errada e isso pode ser no mínimo constrangedor e no limite, bem perigoso.

O Telegram se encarrega de autodestruir contas depois de um período de inatividade. Você escolhe o período máximo nas configurações, mas não existe a opção de manter a conta inativa para sempre. O maior tempo que sua conta pode existir no sistema sem uso, antes de ser eliminada, é um ano.

Cuidado com a dependência

Mas, se apesar de tudo isso, você não quer usar o Telegram e prefere ficar vulnerável a fraudes, ao menos tenha uma outra alternativa para emergências. Se o WhatsApp é sua única forma de comunicação com outras pessoas, você está definitivamente vulnerável a golpes e ficará ilhado em momentos de apagão.

Mantenha uma outra conta como alternativa. Telegram ou Facebook Messenger e, principalmente, o número atualizado das pessoas na sua agenda para ligar ou mandar um SMS. Isso é o mínimo que você precisa fazer para diminuir os riscos.

Enfim, tenha sempre a disposição outros meios de comunicação. Chegou uma mensagem incomum, desconfie e use os outros caminhos para ter certeza de que você está falando com a pessoa certa.

 
 

VCP 163 - Utilize a nuvem para transitar entre o Android e o iOS

Você tem um tablet da Apple e um telefone Android ou o inverso? Precisa experimentar aplicativos e serviços nas duas plataformas? Planeja migrar do Android para o iOS ou vice-versa? Ouça o episódio e entenda como já é possível funcionar bem e transitar sem maiores dificuldades entre os dois sistemas.