Equilíbrio entre a vida pessoal e a profissional. (opinião) | 230

Será que faz sentido separar a vida pessoal da profissional? Há muitos anos, quando comecei a buscar formas de me organizar, essa era uma dica frequente. Havia inclusive a metáfora do chapéu. Ou seja, trocando o chapéu, estou trocando de uma realidade para a outra.

Mas desde minha época de estágio na faculdade, eu misturava tudo. O que aprendia de planilhas em casa resolvia as coisas do meu curso de economia e trazia soluções para o departamento de custos na empresa na qual eu trabalhava. Sempre aprendi testando e levando ideias e necessidades de uma realidade para outra.

Mais tarde, quando aprendi HTML para montar um site pessoal, comecei a usar isso também para criar um mini-catálogo no meu Palm, que era usado na empresa em que eu trabalhava naquela época.

Comigo sempre aconteceu essa fertilização cruzada. Algo na vida pessoal servia para resolver coisa do trabalho e vice-versa. O próprio Evernote, quando entrou na minha vida, foi imediatamente usado nos dois mundos e eu frequentemente testava soluções do trabalho para assuntos pessoais e vice-versa.

O fato é que toda vez que eu separava o que era pessoal do profissional, como sugerem alguns aplicativos e gurus, eu sentia falta da conexão entre os dois mundos. Parecia que algo não estava encaixando bem e que eu acabaria por perder uma oportunidade ou deixar de ter um momento de eureka.

Hoje em dia, mais do que nunca, não existe a barreira do espaço, do local. É possível trabalhar em qualquer lugar e, de certa forma, o mesmo vale para a diversão.

Enfim, meu pensamento é muito em linha com o que faço no Evernote para decidir se devo usar etiquetas ou cadernos. Existem inúmeros vídeos no canal a este respeito, mas de forma super resumida, penso da seguinte forma: se preciso acessar aquela informação de forma rápida e/ou frequente, uso cadernos porque chego mais rápido ao ponto. Não há necessidade de filtrar nada. Vou direto. Para o restante, utilizo etiquetas.

Um exemplo prático são meus emails, que não são filtrados entre pessoais e profissionais. Separo pela ações que tenho que tomar, conforme já expliquei outras vezes no canal.

Porém, recentemente tenho sentido a necessidade de ter um local específico para lidar com meus clientes. Quero abrir aquele compartimento e lidar apenas com este tipo de mensagem porque faço isso repetidas vezes por dia e os passos de filtro e localização da informação estão me fazendo perder tempo. Já, o restante das informações profissionais, permanecerá no antigo sistema de email.

Além dessa fertilização cruzada, alguns estudos que tenho lido falam sobre o problema da competição entre pessoal e profissional. E isso, em minha opinião é o pior. 

É aquela sensação de que é preciso aproveitar cada minuto do final de semana ou das férias porque depois temos que nos dedicar ao trabalho. E o mesmo acontece no trabalho. Algumas pessoas ignoram que têm família ou ficam cegas mesmo. Certa vez uma amiga passou por isso. O pneu do carro furou num lugar escuro e remoto e o marido pensou: depois eu ligo.

Ela raramente ligava para ele no horário de trabalho porque também trabalhava. Se estava ligando era importante, mas ele depois disse simplesmente que pensou em ligar depois porque estava trabalhando. Sou amigo do casal e, conversando com os dois, a sensação que tenho é a de que ele criou dois mundos completamente separados na cabeça dele e acabou não atendendo porque estava no trabalho.

Este é um caso extremo, mas a pergunta é: será que o segredo é realmente separar? Será que o mais sensato não seria buscar algo que traga prazer tanto na vida pessoal, quanto na profissional. Dessa forma, uma realidade não será inimiga do outra. Sei que é complicado, mas queria deixar você com essa reflexão.

Se gostou do vídeo, por favor, compartilhe com um amigo. E gostaria muito de ouvir a sua opinião. Para sua vida, faz sentido separar completamente o que é pessoal do que é profissional?

 

Criatividade e produtividade usando Cadernos do Evernote.

Se você faz parte do meu newsletter, é provável que tenha lido a mensagem na qual explico o conceito Rede de Projetos criado pelos pesquisadores criatividade Howard Gruber e Sara Davis.

Pense em uma prateleira cheia de caixas e dentro de cada caixa, tudo que você precisa para trabalhar em determinado assunto. É basicamente isso e, segundo os pesquisadores, muita gente realmente utiliza caixas de papel.

Essa separação de assuntos traz alguns benefícios, mas é importante que você entenda que existem outras atitudes que você precisa tomar, como, por exemplo, administrar bem suas notificações.

  • Foco - Escolher uma caixa e trabalhar com apenas aqueles elementos nos ajuda a ter foco. Já perdi a conta de quantas vezes falei sobre o assunto aqui no site, no meu Canal no YouTube e no newsletter, mas olhando de perto, as caixas de Gruber e Davis ajudam nosso cérebro de forma muito parecida com o que a Técnica Pomodoro proporciona.
  • Processo Inconsciente - Ao trocar de caixa, passamos a trabalhar no outro conteúdo, mas o subconsciente permanece processando os elementos que deixamos para trás. Sabe aquele momento de eureka que surge quando você está fazendo uma coisa completamente diferente? Acontece muito quando estamos no banho desligados do mundo, mas muitas vezes, quando estamos fazendo algo completamente diferente, surge o insight.
  • Fertilização Cruzada - Tudo aquilo que precisamos aprender de novo para resolver um problema ou colocar um projeto em prática é um conhecimento que no futuro pode vir a ser utilizado ou adaptado a um outro projeto completamente diferente.
  • Escapar da Exaustão - Quando nossa mente está mergulhada em um problema sem solução aparente, atingimos um ponto de esgotamento que pode ser aliviado com a dedicação a outro projeto ou atividade.

No meu Evernote tenho Cadernos substituindo as caixas. Por exemplo, alguns Cadernos representam as etapas nas quais trabalho com meus clientes. Ao entrar em um dos Cadernos, posso focar em cada uma das etapas em diferentes momentos do dia. E a medida que um cliente vai passado de uma etapa pra outra, vou mudando a nota dele para o outro Caderno.

A organização dos Cadernos para as consultorias funciona como um fluxo, mas este Blog, o Newsletter, os curso no Udemy, Workshops e YouTube também têm seus Cadernos e posso facilmente alterar entre eles quando estou cansado de um assunto ou quando preciso me dedicar a outro. E é tão simples quanto clicar em um novo Caderno.

Teoricamente o mesmo poderia ser feito com Etiquetas, mas identifiquei alguns problemas.

É impossível salvar apenas um tipo de Etiqueta para uso offline o que significa que se eu tivesse tudo em um único Caderno como o Rui Silva, eu teria que ter uma enorme capacidade de memória no meu telefone para armazenar essas informações para uso offline.

Usando meu sistema de Cadernos, não tenho o Caderno de clientes finalizados em modo offline no meu telefone porque é algo que eu raramente precisarei. O mesmo vale para o Cadernos dos cursos no Udemy. Ele só fica offline quando estou trabalhando em um novo curso.

Outro problema é que ao mover uma nota para cima de uma Etiqueta na área de Atalhos você na verdade está incluindo aquela nova Etiqueta na Nota e no caso dos Cadernos você está mudando aquele conteúdo para um novo Caderno.

No vídeo abaixo explico tudo isso detalhadamente.

E você, como organiza a estrutura do seu Evernote? Prefere Cadernos ou Etiquetas? Deixe um comentário compartilhado suas ideias para ajudar outras pessoas.