MacBook Air ou Chromebook? (opinião). | Ep. 219.

Depois que publiquei meu último vídeo explicando alguns detalhes a respeito dos Chromebooks, recebi diversas perguntas. Aqui vão alguns exemplos:

Ainda não entendi porque devo trocar meu Windows por um Chromebook. Se você tem um Mac, porque fica usando um Chromebook? Para produtividade (pacote Office 365 com muito Excel), edição de alguns PDFs, abertura de arquivos em DWG/Autocad, qual é melhor um Chromebook?

Além das diversas perguntas, algo triste aconteceu entre aquele vídeo e este. O SSD do meu MacBook morreu pela segunda vez em três anos. Acredito que é algo vinculado a grande quantidade de vídeos que estou constantemente editando, mas o fato é que não tenho mais acesso ao MacBook e resolvi aproveitar a situação para realizar alguns testes mais elaborados com o Chromebook.

No vídeo de hoje respondo parte das dúvidas que chegaram e compartilho meu plano para trabalhar com o Chromebook no lugar do MacBook Air.

Comecei a usar o Chromebook por pura curiosidade e confesso estar bastante impressionado com o progresso do sistema. Em 2015 alguns modelos começaram a permitir a instalação de aplicativos Android e agora iniciaram as primeiras experiências com o instalação de aplicativos Linux. E apesar da sofisticação que vem sendo trazida para o sistema, o uso do equipamento continua muito simples.

Os motivos que me fazem gostar dos Chromebooks são vários. Os equipamentos são relativamente baratos (infelizmente não no Brasil); o funcionamento do sistema como um todo é muito rápido e eficiente; a integração com os serviços do Google é muito boa; é muito fácil migrar de um Chromebook para o outro; não há vírus conhecido; etc.

+ Experimente o G Suite por 14 dias gratuitamente.

Há inúmeras vantagens, mas é preciso ser honesto. Nos casos em que o trabalho é mais elaborado, a produtividade pode sair prejudicada. Tenho conseguido editar os vídeos usando o WeVideo, mas dependendo do nível de sofisticação que você procura, o aplicativo não lhe atenderá. Já a edição das imagens tenho feito com o PixelLab, que é um aplicativo muito bom para Android, mas tem suas limitações.

O Trello sempre usei online e não será um problema. O mesmo vale para todos os demais serviços do Google que uso. Trabalho com Gmail, Google Docs, Google Planilha, Google Slides etc. e certamente não terei nenhum problema no Chromebook. Meu maior desafio será o Evernote.

A nova versão web é basante promissora, mas ainda está incompleta. Meu plano é intercalar entre a versão online e o App Evernote para Android que está cada vez melhor e funciona muito bem no Chromebook.

E você, já pensou em usar um Chromebook? Qual seria a maior limitação no seu caso? Por favor, deixe seu comentário. E se já usa um Chromebook, gostaria de conhecer sua opinião a respeito do equipamento e aplicativos.

 

Digite menos e escreva mais com o Auto Text Expander (tutorial).

Videoaula

O Auto Text Expander é uma extensão (plugin) para o navegador Chrome, que faz com que determinadas combinações de letras, quando digitadas, sejam convertidas em uma frase ou parágrafo, facilitando a digitação de longos textos.

A ideia de usar a tecnologia com o objetivo de alcançar mais em menos tempo ou com menos trabalho me acompanha há bastante tempo e estou sempre compartilhando dicas a este respeito nos meus vídeos e artigos.

Há, entretanto, um outro elemento que considero muito importante. Tecnologias universais, que funcionam em diversos sistemas, são as que mais me atraem porque não fico preso a este ou aquele equipamento, este ou aquele sistema. E uma forma simples de migrar para serviços universais é usando aplicativos e soluções que funcionam em navegadores de Internet.

O Auto Text Expander se enquadra muito bem nas duas situações e, mais que isso, está também preocupado com nossa privacidade. Lendo os termos de uso de alguns dos concorrentes, percebi que, uma vez instalados, passam a sincronizar até mesmo elementos de texto que copiamos e colamos nos nossos computadores.

O Auto Text Expander faz diferente. Ele utiliza o próprio Chrome como um espaço para armazenar e sincronizar os atalhos de teclado entre nossos computadores.

Em outras palavras, para usar o serviço em outro computador e ter acesso aos mesmos atalhos que expandem nossos textos, basta estarmos assinados no navegador Chrome, conforme explico na videoaula "Como criar e sincronizar usuários e configurações no Google Chrome".

O que você achou desta dica? Conhece alguém que pode precisar de fazer algo assim? Compartilhe este conteúdo usando um dos botões abaixo. E se você faz algo diferente ou conhece outras alternativas, deixe seus comentários para ajudar outras pessoas.

 

13 - Como o Chrome me salvou em um dos meus cursos

Sempre que posso levo meu próprio computador já preparado para as aulas e treinamentos nos meus clientes, mas semana passada, depois de quase uma hora tentando conectar o Mac à rede de um órgão público em Brasília, descobri que não seria possível em razão das políticas de segurança.

No passado eu teria movido tudo que estava no meu Mac para um pendrive e transferido o material do curso para o computador do órgão, mas os tempos mudaram. Neste episódio explico como foi possível resolver o problema em alguns minutos sem a necessidade de transferir os arquivos de um computador para o outro.