CEO da Evernote explica o processo de reformulação do serviço

Ian Small é o CEO mais transparente, autêntico e pragmático que a Evernote já teve.

Venho interagindo com a Evernote (empresa) de forma mais próxima há muitos anos. Meu primeiro contato oficial foi para pedir autorização para usar o termo “Evernote” no título do meu livro Organizando a vida com o Evernote, lançado em 2012.

Mais tarde, quando me tornei embaixador, passei a ser convidado para as conferencias internacionais e em 2014 fui também um dos palestrantes.

No mesmo ano me formei na primeira turma de Consultores Certificados e em 2019 iniciei a atividade de Líder de Comunidade e passei a ter reuniões mensais com a empresa.

No mesmo ano me formei na primeira turma de Consultores Certificados e em 2019 iniciei a atividade de Líder de Comunidade e passei a ter reuniões mensais com a empresa.

Na prática tudo isso significa que acabo sabendo de algumas coisas com um pouco mais de antecedência, mas nem sempre posso compartilhar. Porém, depois de anos e anos de convivência enxergo muito bem as entrelinhas de tudo que é dito ou publicado a respeito da empresa e, obviamente, posso falar sobre o que penso.

Hoje, o plano é compartilhar minha opinião a respeito da entrevista recente dada pelo atual CEO, na qual ele compartilha sua visão para a versão web em beta e o futuro dos demais aplicativos.

Por que a Evernote está publicando vídeos de bastidores?

Segundo Ian Small, a ideia foi sugerida por um usuário e eles resolveram experimentar e escolheram um conjunto de diferentes temas com o objetivo de identificar o que agradaria mais a comunidade. O resultado, segundo o CEO, tem sido muito positivo e em minha humilde opinião, eles acertaram na mosca.

Vladimir Campos e Phil Libin na conferência de 2012

Vladimir Campos e Phil Libin na conferência de 2012

Há tempos a Evernote publica vídeos publicitários bem produzidos e com belas imagens, mas na prática penso que eles não têm sido úteis para nenhum tipo de público. Como não há tutoriais ou explicações detalhadas, os novos usuários não conseguem aprender nada e no outro extremo, o grupo de antigos fãs nunca enxergava algo de útil nessas belas produções.

Penso que os vídeos de agora acertam porque são focados na comunidade de usuários mais apaixonados. É mais ou menos o que era o primeiro podcast da empresa na época do Phil Libin: algo descontraído e com algumas explicações dos bastidores. Em outras palavras, uma boa visão do que estava por vir. A diferença é que Libin era muito empolgado e eventualmente fazia algumas promessas difíceis ou impossíveis de concretizar.

A energia dele em relação a empresa era enorme. A primeira vez que encontrei Phil Libin fiz um pedido. Eu queria ter a possibilidade de capturar e usar links de notas nas versões móveis do aplicativo. Ele ouviu com atenção o que eu dizia e depois me pediu para explicar porque aquilo seria importante. Finalmente abriu o App Evernote no telefone e anotou meu pedido. Algum tempo depois a função estava lá.

+ Evernote Conference 2013

Ian Small, por outro lado, é o CEO mais transparente, autêntico e pragmático que a Evernote já teve. Ele não tem nenhuma vergonha de assumir os problemas que o serviço tem e quando compartilha algo sobre o futuro da empresa sempre deixa claro se aquilo é uma ideia, projeto ou experimentação e nos dirá se há ou não uma data para conclusão.

Por que a versão web está recebendo tanta atenção?

Como estou usando a versão beta do Evernote web percebo claramente que a maior parte das novidades e mudanças está acontecendo por lá e é algo que me deixa muito contente porque desde a mudança radical que aconteceu em 2014, quando ela perdeu boa parte dos recursos, a versão web vem sendo deixada de lado. Enfim, não vamos chorar águas passadas.

Segundo Ian ela é a versão perfeita para os testes porque é fácil de experimentar novidade e corrigir o que tem que ser corrigido sem muita dificuldade.

Usar um App para testes beta não é nada eficiente porque em havendo um problema, uma nova versão terá que ser enviada para as lojas, para que todos os usuários possam instalar e só depois disso o problema aparecerá corrigido. E se a necessidade for apenas testar algo, o problema é o mesmo. Por outro lado, ao usar a versão web para testes, é possível corrigir erros ou mudar qualquer coisa em pouco tempo e sem traumas para o usuário.

E o Firefox?

Durante a conversa a respeito da versão web ele aproveitou para explicar o problema com o navegador Firefox. Segundo Ian, cada navegador lê de forma diferente a linguagem javascript que é utilizada no Evernote. Para solucionar o problema existiam duas opções: adaptar a versão atual ou reescrever todo o código para que o Evernote se tornasse compatível com os dois navegadores: Chrome e Firefox . Eles optaram pela segunda opção, mas ele não se compromete com uma data apesar de acreditar que o problema será resolvido em breve.

Pragmático e Transparente

Quando assumiu o cargo de CEO, Ian publicou um artigo no blog da empresa enumerando uma série de problemas que precisavam ser resolvidos. Ele citou inúmeros defeitos antigos e, em minha opinião, foi a primeira prova de transparência. Não me lembro de Phill Libin ou Chris O’Neill descrevendo tão detalhadamente os problemas que precisavam de atenção. Eles falavam sobre grandes temas.

+ Curso Online Gratuito de Evernote

Ian fala em detalhes sobre os problemas que estão na frente do usuário todos os dias e o que está sendo feito para serem resolvidos. Além disso, ele raramente se compromete com datas e, até o momento, não fez nenhuma promessa grandiosa. Ao contrário, tem sempre os pés no chão e o trabalho mostrado em todos os vídeos de bastidores está em linha com o que foi prometido.

Próximos Vídeos

Os primeiros vídeos foram experimentais para entender o que a audiência mais gostou. Segundo ele, os mais técnicos são os com menos pessoas assistindo, mas é um púbico muito específico que deseja ainda mais detalhes a respeito do que está por debaixo do capô.

O vídeo mais popular é o que mostra detalhes do novo editor de notas, tema que também já ganhou vídeo lá no meu Canal e que provavelmente ganhará mais um vídeo no Canal da Evernote. Mas já existem diversos outros tipos de vídeos planejados e sendo gravados, como um específico sobre etiquetas, que, segundo Ian funcionam de forma terrível porque há muita diferença na implantação e uso nas diversas plataformas.

O Futuro

O que temos visto até o momento é um trabalho de padronização. O que está sendo feito no beta da versão web será levado para o App no Mac e Windows e os aplicativos para Android e iOS terão interações mais parecidas. Por exemplo, a criação de uma nota é muito diferente nas duas versões móveis e um vídeo recente mostrou o que está sendo feito para unificar as experiências. No caso das etiquetas, estou esperando por uma ação semelhante. Enfim, fique atento ao que está sendo publicado no Canal da Evernote e no meu Canal porque há muito sendo feito em todas as versões do aplicativo.