Google Fotos: entendendo álbuns 🌁 | 291

Gosto muito do Google Fotos e já publiquei alguns vídeos no Canal a respeito do tema. No último tentei responder as perguntas mais comuns que as pessoas fazem a respeito do serviço, mas a pergunta campeã diz respeito a organização de fotos em álbuns. As pessoas querem ter as fotos apenas nos álbuns mas problema é que o Google Fotos não funciona dessa forma.

O Google Fotos é um serviço excelente, mas não é um álbum de fotografias tradicional. Todas as suas fotos estarão sempre no mesmo lugar. Sempre aparecerão na tela principal. Os álbuns são apenas categorias. Significa que você não está movendo nenhuma foto para álbum. Está apenas criando um filtro. Ou seja, ao clicar no álbum, o Google Fotos mostra as fotos que você categorizou com o nome daquele álbum.

A única forma que conheço para contornar essa situação é criar o álbum e depois selecionar as mesmas fotos na timeline e escolher a opção arquivar. Elas ficarão escondidas e só poderão ser visualizadas clicando na opção Arquivo ou no álbum.

Mas é importante entender que no Google Fotos não existe um lugar para onde você está movendo as coisas. Você está sempre apenas categorizando aquelas informações. Ou seja, no fundo, a timeline é o único local onde as fotos estão armazenadas.

 

Evernote: Etiquetas = Estatísticas 📈 | 290

Não tenho ideia de quantas vezes já me perguntaram qual a forma correta de usar etiquetas no Evernote. A verdade nua e crua é que não existe uma forma correta de configurar e usar o Evernote.

Já percebeu que nos vídeos que publico no canal, nunca prometo fórmulas ou soluções milagrosas? Já percebeu que minha forma de ensinar é provocando sua mente? Enfim, cuidado com as promessas de modelos de trabalho e organização no Evernote. Somos todos diferentes e o ponto de partida deve ser sempre a sua necessidade.

No caso específico das etiquetas, uma boa dica é não utilizá-las apenas para enfeitar suas notas no Evernote. Saber ou imaginar que tipo de informação você precisará extrair do conteúdo que tem armazenado no aplicativo no futuro ajudará a entender que tipo de etiquetas fazem sentido. No meu caso, utilizo etiquetas para classificar e localizar informações e também para ter acesso a uma série de dados estatísticos e este é o tema do vídeo de hoje.

Como você já sabe, ajudo pessoas e empresas ensinado Organização Inteligente e Trabalho Eficiente. É a minha atividade principal e preciso de informações estratégicas. Por exemplo, preciso saber quantos clientes estou atendendo no momento, para que eu possa atender com qualidade. Também preciso identificar se está havendo um crescimento ou redução de clientes mês a mês. Outra informação útil é ter um histórico para conhecer os meses com mais e menos alunos.

Tudo isso e mais eu faço com etiquetas, mas para não complicar as coisas, vou compartilhar apenas dois exemplos de uso.

[1] Preciso saber o número de clientes que começaram um trabalho comigo em cada um dos meses do ano e como um mês se compara com o mês anterior.

Todos os alunos de janeiro de 2019 ganham a etiqueta "2019-01". Para fevereiro uso "2019-02" e assim por diante. Ao entrar na tela de visualização de etiquetas verei uma relação crescente agrupada por ano.

E ao lado de cada item aparecerá o número de notas com aquela etiqueta. Ou seja, o número de clientes em janeiro de 2019, fevereiro e assim por diante. Dessa forma, posso facilmente comparar a evolução de alunos mês a mês dentro do ano.

No meu caso é mais importante ver a evolução mensal, mas se quisesse ter uma visualização mais fácil para comparar o mesmo mês em diferentes anos, bastaria inverter a formatação da etiqueta para "01-2018", “01-2019” e o agrupamento mudará, tendo o mês como elemento agregador.

[2] Outra estatística que coleto é a de tipo de profissional que me procura. Neste caso, para que as etiquetas fiquem sempre próximas umas das outras, uso a letra "M" (mentoria) na frente da profissão. Ou seja: "M | Advocacia", "M | Arquitetura", "M | Finanças" etc. O "M", além de agrupar os itens, também facilita a inclusão da etiqueta na nota. Basta digitar "M" e todas as profissões que já tenho cadastradas irão aparecer. Basta selecionar a desejada e ela será incluída na nota.

Gostou da dica, por favor compartilhe com os amigos usando os botões abaixo.

 

Evernote em 2019 com novo CEO 🐘 | 285

Como assim um novo CEO? Confesso que também fui pego de surpresa quando li a notícia em outubro do ano passado (2018) no site da Evernote. E fiquei ainda mais perdido quando fui em busca de informações no site da empresa.

O post apresentando o Ian Small como novo CEO é muito básico e o perfil dele no LinkedIn é igualmente simples. Enfim, tudo de relevante que consegui descobrir até o momento foi que ele veio do mercado de telecom. Mas tudo bem, o que importa não é quem ele é e sim o que ele fará e hoje resolvi conversar a respeito dos planos da empresa para 2019.

O artigo do dia 3 foi assinado pelo próprio Ian e ele começa dizendo que passou os dois últimos meses conhecendo as pessoas da equipe e também a opinião dos usuários do aplicativo.

Ele também reconheceu alguns dos principais problemas da empresa. O sincronismo, que nem sempre funciona. A defasagem da versão Windows em relação a versão Mac. Diferenças de funcionamento do aplicativo nos variados sistemas e respectivos bugs. E finalmente a parte que mais gostei, o fato de que o Evernote para dispositivos móveis parece uma versão simplificada do aplicativo para computador. Enfim, é um tipo de reconhecimento que nunca vi acontecer na empresa.

E concluiu o artigo com três pontos que serão o foco em 2019. Confesso que, em parte, me pareceu uma repetição do que foi dito pelo Chris O'Neill, mas, conforme já mencionado, gostei muito da honestidade dele ao reconhecer as falhas do Evernote e darei, sim, meu voto de confiança.

1 - UMA EXPERIÊNCIA MAIS CONSISTENTE

O objetivo é corrigir os problemas que existem em todas as versões, começando pela gratuita. Gostei de ouvir isso, especialmente depois que ele reconheceu de forma pública alguns dos problemas mais antigos do aplicativo.

2 - MUDANÇAS NA FORMA DE DESENVOLVER E LANÇAR NOVIDADES

Éum ponto interessante porque desde o princípio o aplicativo foi desenvolvido por equipes diferentes para cada um dos sistemas. Por um lado, faz sentido porque desenvolver para Windows é diferente de desenvolver para Mac e o mesmo vale para Android e iOS.

Mas a empresa adotou uma espécie de competição interna e experimentação nas diferentes plataformas e isso cria situações estranhas. Quem usa o aplicativo em mais de uma plataforma já percebeu como alguns recursos não existem em todas elas.

3 - MELHORIAS NA INFRAESTRUTURA

Confesso que aqui fiquei um pouco confuso porque me parece com o que o antigo CEO disse que fez. Enfim, pode ser que ele tenha identificado que ainda há trabalho a ser feito e só nos resta acompanhar a empresas em 2019 para descobrir que melhorias são essas.

Mas de tudo que li, o que mais gostei foi o fato dele ter reconhecido que o aplicativo não é mobile-first, ou seja, não é pensado de forma moderna com foco nos dispositivos móveis. Ultimamente tenho usado muito o Evernote para Android e iOS e confesso que venho apanhando um pouco por falta de determinados recursos. E você, o que achou desse comunicado? O que pensa a respeito do futuro da Evernote. Por favor, compartilhe sua opinião.